hikkaduwa beach

Hikkaduwa, Sri Lanka

 

Acessada via trem econômico, em Hikkaduwa há um parque nacional marinho para conservação de recifes de coral e tartarugas-marinhas, observáveis durante o mergulho na praia. Próximo, há um grande forte colonial.

Ao anoitecer de um dia em abril de 2013, cheguei no trem vindo de Colombo à pequena cidade de Hikkaduwa, ou o que virou depois do tsunami que a atingiu em cheio em 2004.

arrack

Caminhei em passos largos entre as ruas sem identificação, torcendo para achar a hospedagem caseira em que passaria as duas próximas noites antes de ficar tudo escuro. Logo de cara passei por um cemitério “ecológico” em frente à praia. Meio sinistro.

cemitério sri lanka

Enfim, cheguei a tempo de não ser abordado por ninguém. Apenas 16 reais era o valor da diária, incluindo refeição. O dono do Hikka Train Hostel era um idoso simpático e culto, conversamos por um bom tempo, o único problema é que sua ausência de dentes e o forte sotaque complicavam em muito a compreensão.

Praia de Hikkaduwa

Já de dia, fui à praia onde fica o parque nacional marinho, uma tentativa de proteger o recife de corais que já está bastante devastado, devido tanto às catástrofes naturais quanto às atividades humanas. Como a maré estava forte e o mar turvo, não consegui ir até o tal do santuário de corais que ficava um pouco adiante e é melhor alcançado com barco. Estive apenas na parte mais rasa, vendo alguns corais e peixes, quando de repente duas tartarugas-verdes adultas se aproximaram de mim, uma de cada vez, procurando alimento em meio às algas. Um momento único.

Enquanto as observava fazendo força para vencer a maré e se alimentar, notei que as tartarugas grandonas estavam com anéis de marcação e seus ninhos em terra estavam cercados, o que significa que há um programa no local semelhante ao projeto Tamar brasileiro.

Pedi licença pra tirar uma selfie e então deixei os bichos em paz, já que não havia mais ninguém em volta.

hikkaduwa beach

Voltei a casa para provar um almoço típico, com muito arroz, curry e, lógico, pimenta. Depois fui ao mercado para comprar algo típico, como alguns chás, já que os da conhecida marca Lipton são produzidos lá, e não na Inglaterra.

Em seguida descansei um pouco na praia, que se assemelha às do nordeste brasileiro. Diferentemente de Colombo, em Hikkaduwa havia de fato turistas ocidentais, embora naquele dia fossem poucos e hospedados num hotel chique à beira-mar. No outro lado a rodovia passava bem próxima às praias, mas como o movimento não era tão grande isso não prejudicava tanto a bela cor do mar.

hikkaduwa beach

À noite, descobri que era véspera do ano novo cingalês, a principal etnia do Sri Lanka. Isso explicava a movimentação nas vendas de bebida no fim da tarde, onde o povo corria atrás da bebida típica, o arrack, um aguardante de coco que lembra um uísque barato, pelo menos o que provei. Realmente uma bebida de araque. Ainda assim, mais tarde nessa viagem eu comprei uma garrafa de arrack para levar pra casa.

Além de fogos, não vi muito agito nas ruas, que logo após a virada ficaram escuras. O problema foi a consequência no dia seguinte.

Como era feriado, a maioria dos trens e ônibus não estava operando. Com essa eu não contava. Tive que gastar umas rúpias a mais para ser levado de tuk-tuk até o próximo destino. Não que fosse caro para os padrões do Brasil, mas para quem pagou quase nada para percorrer toda aquela distância de trem (os ônibus eram igualmente baratos), era razoável.

A estrada continuava pela praia de Narigama e demais litoral, revelando belas águas transparentes e vários templos budistas. Se tivesse mais tempo pararia no pequeno museu do tsunami (Community Tsunami Education Center & Museum), que é um memorial da devastação ocorrida por lá e funciona a base de doações. Ao menos parece que aos poucos esse local está recuperando seu clima relaxado para voltar a ser o destino preferido dos mochileiros, surfistas e regueiros, como era nos anos 70.

Forte de Galle

Mais adiante ficava Galle, cidade fundada por portugueses em 1588 e fortificada por holandeses no século seguinte. Hoje, o forte é patrimônio da UNESCO.

galle fort

Entre suas edificações mais significativas constam o museu marítimo, o farol e algumas construções religiosas. A que mais se destaca é a mesquita Meeran Jumma, construída pelos primeiros comerciantes árabes.

Meeran Jumma

Dali, segui para Udawalawe, no safári mais barato do mundo.

Mapa dos pontos de interesse de Hikkaduwa

.

.

2 comentários sobre “Hikkaduwa, Sri Lanka

Deixe um comentário