Dead Acacia trees on Deadvlei

Sesriem, Namíbia (Sossusvlei)

 

Sesriem é um entreposto no oeste da Namíbia, à beira de um mar de dunas alaranjadas e da planície salina de Sossusvlei. Nessa região há paisagens que não se encontram em mais lugar algum no mundo.

Caminho até Sesriem

A partir da capital Windhoek, eu e meus colegas começamos por volta das 7 horas da tarde a jornada até Sesriem. Segundo a locadora, de carro levaria umas 3 horas apenas… Faz-me rir. Assim que deixamos Windhoek, o asfalto lisinho deu lugar a uma estrada de chão pelo resto do trajeto. Belíssimas as paisagens no pôr de sol, mas nada fáceis as traiçoeiras pedras soltas e riachos cruzando as estradas frequentemente.

Estrada de chão de Windhoek a Sesriem no pôr-do-sol

À medida que escurecia, a estrada ficava pior e a velocidade do nosso Polo alugado ia diminuindo. Em determinado momento não deu mais para seguir, pois devido a um rio uma picape ficou atolada a nossa frente. Tivemos que tomar um caminho alternativo mais longo.

O trajeto estava quase sendo um safári noturno, pois vimos lebres, chacais, gazelas, zebras, antílopes órix, além de outros um tanto menores, como esse piolho-de-cobra.

Piolho-de-cobra da Namíbia

Estávamos na completa escuridão em território selvagem quando o inevitável aconteceu: um pneu furou. Com muita cautela para o caso de um grande predador surgir, trocamos a peça e seguimos bem devagar, sem ver ninguém em todo o resto do caminho.

Desert Quiver Camp

Somente às 3 da madrugada chegamos a Sesriem. Tínhamos reservado um chalé num dos caros e raros alojamentos do local. As taxas mais reduzidas ficam em torno de 800 dólares da Namíbia (190 reais) por pessoa. Barato somente em campings, pois não há albergues. O Desert Quiver Camp estava sem sinal algum de vida quando chegamos. Imaginamos que tínhamos perdido a reserva da casa, mas não, a chave estava do lado de fora da recepção. E olha que não havia nenhum segurança por lá. Ah, se fosse no Brasil…

Desert Quiver Camp à noite em Sesriem

Superlotamos a cabana para reduzir um pouco o custo. Essa é limpa e conta com todas as necessidades básicas. Somente ao acordar, notamos a vastidão do deserto a nossa volta.

Chalé do hotel Desert Quiver Camp em Sesriem

Parque Nacional Namib-Naukluft

Pelas 10 horas já estávamos no portão do Parque Nacional Namib-Naukluft. Pagamos 80 NAD (dólares da Namíbia) por cabeça + 10 NAD pelo carro e seguimos por 60 km na via asfaltada em meio ao deserto e dunas até Sossusvlei. Leve água, pois não há onde achar lá dentro.

Conhecido como “mar de areia da Namíbia“, são 3 milhões de hectares de um bioma único listado na UNESCO. Em nenhum outro lugar do mundo há um deserto costeiro que inclui extensos campos de dunas influenciadas por névoa.

Parque Nacional Namib-Naukluft

Nesse percurso vimos aves de rapina, avestruzes e cabras-de-leque (Antidorcas marsupialis). Conhecidas na África como springboks, devido aos saltos que dão, essas gazelas de porte reduzido podem correr até 90 km/h, então nem adianta ir atrás pra tentar conseguir uma foto melhor.

Casal de cabras-de-leque (Antidorcas marsupialis) na Namíbia

Um marco na paisagem desse trajeto é a Duna 45, que tem esse nome porque fica a 45 km do ponto inicial da estrada. Mas bem que poderia ser por causa de sua inclinação.

Duna 45 em Sesriem

Do estacionamento (onde termina o asfalto) em diante só tração 4X4, pois o caminho é de areia fofa. Caminhamos nessa areia num sol de rachar por uns 3 km até a bifurcação da Sossusvlei propriamente dito, ao norte, e Deadvlei, ao sul. Ao menos isso nos permitiu chegar bem próximo do imponente órix (Oryx gazella), que se alimentava tranquilamente da rala vegetação.

Órix no Parque Nacional Namib-Naukluft

O gemsbok é encontrado em todo o território do país. Foram muito caçados devido a seus chifres espetaculares, mas graças às iniciativas de preservação, hoje em dia estão fora de perigo de extinção.

Deadvlei

Prosseguindo, fomos até o Deadvlei. Após 1 km e meio nos deparamos com um cenário impressionante. O vale da morte fica entre grandes dunas, consistindo em troncos mortos de árvores.  Este cenário ficou conhecido depois de uma foto ganhadora de um concurso de mundial de fotografia.

Dead Acacia trees on Deadvlei

As árvores negras são acácias que morreram a aproximadamente 600 anos, quando a mudança de posição das dunas interrompeu o curso de água, deixando apenas uma camada de argila. O único ser realmente vivo que vimos por lá foi um corvo. Se tiver fôlego, ao sul fica uma das maiores dunas do mundo, conhecida como Big Daddy (325 metros).

Entrepostos de Sesriem e Solitaire

Visitamos ainda o Sesriem Canyon, perto de Sesriem. É uma falha no terreno, onde se entra em meio aos paredões de conglomerados. Dizem que há água o ano todo na parte inferior, mas não chegamos a vê-la ao caminhar por dentro.

Cânion de Sesriem na Namíbia

Abastecemos o veículo no posto de combustível a saída do parque, a 11 NAD o litro. Também compramos alguns suprimentos na loja de conveniência e um pneu novo.

Posto de combustível de Sesriem

E com o Monte Naukluftberge ao fundo, seguimos caminho em direção a Solitaire.

Mochileiros em Sesriem

Ainda bem que resolvemos tudo em Sesriem, pois em Solitaire o posto e demais estabelecimentos já estavam fechados quando passamos, logo após o pôr do sol. A vista desolada noturna de carros abandonados no deserto é interessante, no entanto.

Posto de Solitaire à noite

Finalmente, seguimos tranquilamente até a cidade portuária de Walvis Bay, embora a estrada ainda fosse de chão.

Mapa dos pontos de interesse de Sesriem

.

.

Deixe um comentário