Washington, DC, EUA

Washington, DC, EUA

 

 

Takoma

 

Para conhecer a capital dos Estados Unidos no meio desse ano, tomei um dos frequentes e baratos trens da Baltimore Penn Station para a Washington Union Station. Chegando lá, me deparei com uma rede de transporte subterrâneo bem expressiva. Infelizmente, o cartão para uso ilimitado de 1 dia custava 14,5 dólares, 10,5 a mais do que em Baltimore e, além disso, só servia para o metrô! Dessa forma, acabei optando por pagar cada jornada à parte. Segui diretamente para a hospedagem, bem próxima à estação Takoma.

hilltop hostel

O Hilltop Hostel fica nessa típica casa americana, com vários cômodos, em um bairro pacato. Paguei 28 dólares por noite (aceitam apenas dinheiro) para o Papai Noel que administra o lugar e larguei o mochilão em um quarto de 6 pessoas só para mim, ainda que houvesse meia dúzia de hóspedes por lá. Apenas em uma noite tive o azar de ter como companhia um saxofonista que produzia um ronco mais alto que o som de seu instrumento.

Peguei o rango em um mercado cooperativo de produtos naturais ali perto para o jantar e café-da-manhã e fiquei pelo albergue relaxando na rede do quintal espaçoso nos fundos, cuja tranquilidade só era perturbada pelos trens que passavam.

 

Kenilworth Park and Aquatic Gardens

 

Na manhã seguinte peguei o metrô até a estação Deanwood, a fim de visitar um ponto quase desconhecido por turistas. Na margem direita do Rio Anacostia, o Kenilworth Park and Aquatic Gardens abrange ambientes naturais de banhado e um jardim com lagoas lotadas de plantas aquáticas em floração, como as flores de lótus e o nenúfar (Nymphaea sp.) da foto seguinte.

 

kenilworth park and aquatic gardens

 

São habitats ideais para se ver e fotografar insetos. Algumas libélulas de espécies diferentes repousavam nas plantas, à procura de malditos mosquitos para se saciar. Saquei minha recém-adquirida Sony A6000 com a lente 55-210mm e fiz o registro.

 

anisoptera

 

Com um olhar atento, reparei em outro inseto com uma face um tanto diferente, caminhando ao redor dos estigmas de uma flor de lótus. Para essa foto milimétrica tive que adicionar a Opteka de 10x, uma lente macro de baixíssimo custo, mas que deu conta do trabalho.

 

lotus stigma

 

Alguém já viu um sapo/rã com rabo? Eu mesmo não tinha visto até cruzar o jardim. Acontece que a cauda vai sendo absorvida pela corpo do anfíbio conforme ele passa do estágio de girino para o juvenil, mas nem sempre esse processo funciona como deveria. Mas não fique triste amigo anuro, pois isso logo deve passar.

 

frog with tail

 

Nas plataformas que levam a setores mais isolados, são as aves que dão um show. Entre as fáceis de se ver está a que deu origem ao principal personagem de Angry Birds, o cardeal americano macho (Cardinalis cardinalis).

 

Cardinalis cardinalis

 

Passei por uns gansos nervosos e voltei pro metrô para conhecer as atrações principais. Desci em vão na estação do Pentágono, apenas para descobrir que as visitas têm que ser previamente agendadas. Nem uma foto decente do exterior eu consegui, pois mandaram apagar a que eu tinha tirado.

 

Cemitério Nacional de Arlington

 

De lá segui para o Cemitério Nacional de Arlington, a necrópole militar. Grupos de turistas seguiam pelas ruas internas para vislumbrar a infinidade de lápides, resultado da política bélica americana.

 

Cemitério Nacional de Arlington

 

Entre os famosos ali enterrados está a família Kennedy. No alto de uma colina, junto a um anfiteatro de mármore, fica o Túmulo ao Soldado Desconhecido. Tive a sorte de estar por lá bem na hora da troca de guarda, uma cerimônia de alguns minutos aguardada por uma galera.

 

Túmulo do Soldado Desconhecido de Washington

 

National Mall

 

Deixei o clima fúnebre, atravessei a ponte sobre o Rio Potomac e cheguei ao complexo conhecido como National Mall. Ali ficam alguns dos principais monumentos históricos e edificações governamentais. Ao longo de quase 4 km ficam o Memorial a Abraham Lincoln, Memorial aos Veteranos da Guerra do Vietnã, Monumento aos Veteranos da Guerra da Coreia, Memorial a Martin Luther King, Memorial a Franklin Roosevelt, Memorial a Thomas Jefferson, Memorial Nacional da 2ª Guerra Mundial, Monumento a George Washington, Casa Branca e… ufa, Capitólio.

 

ww2 monument washington

 

Uma pena o Obama não estar em casa, e os jardins centrais e a cúpula do Capitólio estarem em reforma.

 

capitólio em reforma

 

Instituto Smithsoniano

 

Próximo ao meio-dia do verão americano estava tão quente que tive que entrar em algum prédio para ficar no ar-condicionado. O maior complexo de museus do mundo fica em grande parte às margens do National Mall. Encabeçado pelo Instituto Smithsoniano, são incríveis locais para se visitar. O melhor de tudo é que são gratuitos! Ainda que dispusesse de alguns dias livres, não fui capaz de ver tudo o que gostaria, de tão interessantes que eram os museus. Por isso, optei por 3 deles, o da história americana, o de história natural e do ar e espaço.

O primeiro retrata o desenvolvimento científico, cultural, social e político que foi moldando o país desde quando era uma colônia inglesa até os dias atuais. Conta ainda a história das guerras em que os americanos se envolveram, em busca da “liberdade”.

Por fim, apresenta alguns itens históricos originais, como a bandeira Star-Spangled Banner e o uniforme do presidente George Washington.

 

museu da história americana

 

Já o de história natural foi o melhor em minha opinião. Sessões dedicadas aos diversos grupos de animais e ecossistemas, fósseis gigantes, minerais de todas as formas e cores, fantásticas exibições fotográficas temporárias, culturas humanas, borboletário, espaços interativos, cinema com tela gigante; enfim, são muitos e bem feitos os salões.

Um dia inteiro é um tempo razoável para apreciar com cuidado os mais de 127 milhões de artefatos e espécimes.

 

museu de história natural

 

Dezenas de aviões e foguetes são os protagonistas do último museu. Além de muitas réplicas há itens originais, como o primeiro módulo lunar a pousar na Lua, o Apollo 11, e a primeira nave particular a conseguir um voo espacial, o SpaceShipOne.

Ainda, todo o desenvolvimento de conhecimento além da Terra é detalhado em painéis e modelos em escala real. Só acho que a parte que trata da história da aviação deveria ser substituída, tirando os irmãos Wright e colocando nosso verdadeiro pioneiro Santos Dumont.

 

museu do ar e espaço

 

Saí de lá sem conhecer tudo que gostaria, já que fechou mais cedo que o previsto. Na última noite peguei uma balada com Linden (um australiano que estava em meu albergue) para comemorarmos seu sucesso na obtenção de todos os vistos para que ele participasse do rali da Mongólia. Entornamos umas brejas e partimos para o pequeno mas interessante Little Miss Whiskey’s Golden Dollar. Algumas horas depois, retornei para mais uns dias em Nova Iorque.

 

.

.

Um comentário sobre “Washington, DC, EUA

Deixe um comentário